Afinal, você sabe como aumentar suas margens de faturamento?
afinal-voce-sabe-como-aumentar-suas-margens-de-faturamento.jpeg

Afinal, você sabe como aumentar suas margens de faturamento?

2 meses atrás 0

Compartilhe nas redes sociais.

Conhecer as margens de faturamento da oficina mecânica é um importante passo para promover melhorias e tornar o negócio mais lucrativo. Ao fazer um diagnóstico inicial, torna-se possível saber como as margens poderão ser melhoradas sem afetar o preço final dos serviços e, portanto, o interesse dos clientes.

No entanto, quem não é da área financeira pode se sentir um pouco perdido em relação ao assunto, afinal, existem muitas margens de faturamento, a exemplo da margem líquida, da margem bruta e da margem de contribuição. Cada uma é calculada de forma específica e tem determinada utilidade para a oficina mecânica, por isso é essencial conhecê-las.

A boa notícia é que, neste post, reunimos tudo o que você precisa saber sobre margens de faturamento. Então, continue com a leitura e confira!

O que é margem de faturamento?

A margem de faturamento é um importantíssimo indicador da empresa, na medida em que mostra o resultado de determinadas operações. Com ela, é possível descobrir o lucro obtido após a retirada dos custos e detectar, de fato, como anda a saúde financeira do estabelecimento.

Em linhas gerais, existem três margens de faturamento: líquida, bruta e de contribuição. Abaixo, entenda melhor:

  1. margem bruta: é o ganho com a venda de um serviço após a retirada de custos diretos, por exemplo, a mão de obra do mecânico ou peças usadas no serviço;

  2. margem líquida: é o quanto você realmente lucrou em determinado período, retirando todos os custos envolvidos. Geralmente é expressa em percentual;

  3. margem de contribuição: é o ganho com a venda de um serviço após a retirada de custos variáveis, por exemplo, a comissão do vendedor.

As diferenças podem até parecer sutis, mas são de suma relevância para a análise e a saúde financeira da oficina mecânica. Portanto, é preciso sempre estar atento em relação a todas elas!

Como calcular?

As margens bruta e variável são as mais simples de calcular, bastando tirar, respectivamente, os custos diretos e variáveis do valor da venda do serviço. A margem líquida apresenta um cálculo um pouco mais elaborado, mas também simples. Confira:

margem líquida (%) = lucro líquido / receita total x 100

Imagine que você faturou R$20 mil no último mês. Desse valor, R$7,5 mil foram de custos variáveis (comissão, materiais de limpeza etc.) e R$8 mil de custos fixos (aluguel, energia, telefone etc.). Então, resta um lucro líquido de R$4,5 mil.

Para identificar a margem líquida, basta dividir o lucro líquido (R$4,5 mil) pela receita total (R$20 mil) do mesmo período e multiplicar o resultado por 100. Sendo assim, a margem final de lucro líquido é de 22,5%.

Quando o assunto é margem de faturamento, uma dúvida comum é: qual o nível aceitável de margem? A verdade é que não há uma resposta específica, pois isso depende do contexto do mercado e de cada oficina. No entanto, quanto maior for a margem de lucro, melhor.

Como aumentar as margens de faturamento da oficina?

Agora que você entende quais são as principais margens e como calculá-las, é hora de ficar por dentro de como tornar seu negócio mais sustentável e lucrativo. Em termos gerais, as ações devem estar centradas em três pilares:

  1. redução de custos;

  2. aumento da eficiência operacional — produzir mais com os mesmos recursos;

  3. administração dos preços.

Pensando nisso, abaixo, separamos algumas dicas para você. Acompanhe!

Tenha bons indicadores financeiros

A primeira dica é ter indicadores que o ajudem a fazer um diagnóstico do seu negócio, identificando se ele está lucrativo o suficiente ou se precisa de ajustes. Assim, você também obterá informações pertinentes para planejar estrategicamente e fazer boas escolhas.

Há muito indicadores financeiros úteis à oficina. Entre eles, podemos destacar o retorno sobre o investimento (ROI), o demonstrativo de resultado do exercício (DRE) e o índice de liquidez da empresa. Para efetuar o levantamento, conte com os conhecimentos da área financeira ou contábil.

Reformule os preços de venda

O preço final tem um importantíssimo impacto nas margens de faturamento, então é necessário reconsiderá-lo. Um bom preço leva, ao menos, três fatores em consideração: a percepção dos clientes, os custos envolvidos e o preço praticado pela concorrência.

Essa análise deve ser feita de tempos em tempos, a fim de garantir que os valores estejam sempre atualizados e condizentes com o que é praticado pela concorrência e sejam suficientes para gerar o lucro desejado ao negócio. Com isso, será possível alcançar ótimos resultados.

Elimine o máximo de erros operacionais

Os erros ao longo do expediente oneram a empresa, tornando necessário o retrabalho e o investimento de uma maior quantidade de tempo na mesma tarefa. Assim sendo, a oficina perde em eficiência operacional e, portanto, em margem de faturamento.

Nesse caso, o ideal é eliminar o máximo de erros e garantir o alinhamento da equipe de trabalho. Para tanto, facilite a comunicação interna e invista na otimização dos processos e na prevenção de perdas. Feito isso, a eficiência operacional será muito maior.

Também é relevante contar com bons equipamentos para o trabalho, eliminando a possibilidade de atrasos por falhas mecânicas. Então, aproveite para adquirir elevadores automotivos de ponta, monta-cargas e outras tecnologias para a oficina.

Reduza sistematicamente os custos do negócio

Para o funcionamento do negócio, há uma série de custos necessários. Eles vão do aluguel do estabelecimento até a mensalidade do sistema de gestão. Se, por um lado, eles viabilizam o funcionamento da oficina, por outro reduzem a margem de faturamento.

Faça um levantamento da estrutura de custos, avaliando quais são essenciais e quais podem ser eliminados da empresa. Em seguida, faça cortes ou renegocie preços com fornecedores — mas com cuidado, para que isso não afete a qualidade dos serviços.

Renegocie valores com os fornecedores

Um dos pontos que “doem menos” é renegociar preços de compra. Além do mais, essa prática quase sempre dá certo. Mesmo que consiga uma redução de poucos reais ou, até mesmo, de centavos com os fornecedores, certamente isso terá impacto nas margens de faturamento e contribuirá para que o negócio se torne mais lucrativo.

Uma dica é: o proprietário deve estar pessoalmente envolvido na negociação. Isso porque os fornecedores estão acostumados com o funcionário responsável pela compra, logo sentirão o contraste. Além disso, tenha uma meta de redução, que pode ser, por exemplo, 10% do valor atual.

Agora você está por dentro do assunto e entende como alavancar suas margens de faturamento, certo? Então, aproveite e coloque nossas dicas em prática. Acompanhe os indicadores, reformule os preços, aumente a eficiência e reduza custos.

Gostou do nosso artigo? Aproveite que está por aqui, assine nossa newsletter e receba nossas atualizações diretamente no seu e-mail!