Injeção eletrônica: tire aqui todas as suas dúvidas

Injeção eletrônica: tire aqui todas as suas dúvidas

2 anos atrás 0

Compartilhe nas redes sociais.

Você sabe o que é a Injeção Eletrônica de combustível? Este sistema chegou ao mercado brasileiro há 28 anos e revolucionou a forma como a indústria automotiva passou a fabricar motores a combustão.

A injeção eletrônica é uma central responsável por enviar aos cilindros do motor a quantidade necessária de combustível para que ele possa gerar a explosão que fará com que a potência seja aplicada.

Antes da injeção eletrônica, esse processo era realizado pelo carburador. Embora funcionasse bem, o carburador tinha pouca eficiência e fazia com que o carro gastasse mais combustível do que o necessário, o que levava os proprietários a desperdiçarem dinheiro e poluírem mais o meio ambiente.

A Injeção Eletrônica no Brasil

A sistema eletrônico de injeção de combustível chegou ao Brasil em 1988, equipando o Gol GTI, um dos mais icônicos carros esportivos já produzidos pela indústria nacional. O carro tinha um motor 2.0 de 8 válvulas, que gerava 112 cv de potência. Custava caro para a época, mas logo viu-se as vantagens da injeção eletrônica: o Gol GTI praticamente não apresentava problemas mecânicos. 

A partir dele, outros modelos adotaram o sistema, que se tornou item de série em todos os carros nacionais a partir da metade da década de 90.

Como funciona a Injeção Eletrônica

Os motores à combustão funcionam por meio de uma exata combinação de ar e combustível, numa queima que ocorre dentro dos cilindros. Quando o motorista dá a partida, os pistões iniciam um movimento de subida e descida dentro dos cilindros. A partir daí o sensor de rotação sinaliza para a central de comando em que número de giros o motor se encontra.

Essa central analisa o fluxo de ar medido pela borboleta de aceleração e, com base nessa informação, a injeção eletrônica libera a quantidade de combustível necessária para que a queima ocorra dentro dos cilindros.

A medida em que o motorista exige do motor, a central refaz os cálculos dessa mistura, tentando sempre mantê-la em uma proporção ideal de funcionamento. Assim o motor sempre terá o melhor rendimento, economizando combustível e emitindo poucos gases poluentes.

Cuidados com a injeção eletrônica

Como você notou, a injeção eletrônica é um sistema vital dos carros atuais e, portanto, o motorista deve ter atenção redobrada com ela. Em todos os carros existe uma luz amarela no painel, no formato de motor, que acende todas as vezes que a injeção apresenta mal funcionamento.

Se essa luz acender no seu carro, não demore a procurar uma oficina, pois você pode ter um problema terminal no seu veículo.

Outro cuidado é com o combustível. Infelizmente, a gasolina brasileira possui muitas impurezas que afetam o funcionamento do motor. Portanto, procure abastecer periodicamente com gasolina aditivada e troque o filtro de combustível a cada 10 mil quilômetros. Fique atento também aos bicos injetores. Se o seu carro estiver falhando quando você acelera, é sinal de que eles podem estar precisando de uma limpeza.

E aí, gostou deste post? Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Então participe deixando um comentário abaixo!