Mecânica automotiva: veja algumas noções básicas do tema

Mecânica automotiva: veja algumas noções básicas do tema

1 ano atrás 0

Compartilhe nas redes sociais.

Imagine ficar com o seu carro enguiçado na rua por falta de reparos simples. Para que isso não aconteça, é importante que você tenha, pelo menos, uma noção básica sobre os sistemas que compõem a mecânica automotiva.

Alguns problemas são tão simples que você consegue resolver sozinho. Em outros casos, você precisa levar o carro para a oficina. Porém, tendo um conhecimento básico sobre as peças do seu carro e sabendo quais são os principais problemas, você saberá o que falar na oficina e acompanhará melhor os serviços prestados.

No post de hoje, você vai ver quais são os sistemas da mecânica automotiva e seus respectivos funcionamentos. Confira:

Sistema elétrico

Gera, armazena e distribui energia elétrica para diversas funções do veículo.

A bateria acumula eletricidade e é a fonte de energia que o seu carro utiliza. Quando você vira a chave de ignição, a bateria libera energia para a bobina, o distribuidor, a bomba combustível e o motor de partida.

O motor de partida não é o mesmo do veículo. Na verdade, ele dá a energia inicial para colocar o motor do veículo em movimento. Ele está ligado ao volante do motor por uma correia dentada. Quando você liga o carro, o motor de arranque faz o volante do motor virar, girando também o virabrequim.

A energia da bateria também faz o distribuidor enviar impulsos elétricos para as velas, presentes em cada cilindro do motor. Elas produzem faíscas no interior dos cilindros, por meio de eletrodos.

Motor

Transforma energia térmica (queima de combustível) em energia mecânica (movimento do veículo).

Ele tem uma série de engrenagens para que os movimentos do virabrequim e do eixo de comando de válvulas fiquem sincronizados com as faíscas das velas. O movimento e o contrapeso dos pistões, interligados pelo virabrequim, impulsionam o pistão para cima e para baixo.

Os pistões funcionam dentro dos cilindros como se fossem êmbolos de seringa, fazendo os 4 tempos do motor:

  • Admissão:o pistão desce e a válvula de admissão se abre para que a mistura de ar e combustível entre no cilindro;
  • Compressão: o pistão sobe para comprimir essa mistura. Com isso, o ar se aquece;
  • Combustão: o ar quente queima o combustível. Ocorre então uma explosão, que empurra o pistão para baixo;
  • Escapamento: o pistão sobe e a válvula de escapamento é aberta para que o gás resultante da queima seja liberado para a descarga.

Todo cilindro tem pelo menos 2 válvulas: uma para admitir a mistura de ar e combustível e outra para mandar embora o gás tóxico. O eixo do comando de válvulas tem o movimento sincronizado com o virabrequim, abrindo e fechando as válvulas de admissão e escapamento nos momentos certos.

As bielas têm um lado ligado aos pistões e outro ligado ao virabrequim, transformando movimento retilíneo em movimento circular. O virabrequim faz um movimento rotatório, girando o volante do motor. Esse volante amortece os impulsos dos pistões e dá uma rotação uniforme ao virabrequim.

O bloco de cilindros abriga praticamente todos os outros componentes do motor. Ele tem tubos por onde deslizam os pistões. Fundido em seu topo há o cabeçote, onde se encontram as válvulas, o eixo do comando de válvulas e as velas. Abaixo fica o cárter, que coleta o óleo lubrificante.

Alimentação

A injeção eletrônica (ou carburador, para carros antigos) é responsável pela dosagem de ar e combustível que vai entrar nos bicos injetores de cada cilindro do motor.

Refrigeração

O sistema de arrefecimento utiliza ar e água para manter o motor em uma temperatura estável e evitar que as peças fiquem engripadas. Cada motor tem uma temperatura ideal diferente, variando entre 87º C e 105º C.

A bomba de água ajuda na troca de temperatura, por meio do deslocamento de água pelo sistema. Ela é acionada por uma correia, ligada ao virabrequim. Por isso, quanto maior é a rotação do motor, maior também é a circulação de água.

A válvula termostática bloqueia a passagem de água pelo radiador enquanto o motor não tiver atingido a temperatura ideal. Atingida essa temperatura, a água que passou pelo motor (aquecida) é trocada pela que está no radiador (resfriada).

Lubrificação

Esse sistema filtra, controla a pressão e faz o óleo circular pelas áreas de atrito do motor. Ele existe para diminuir o desgaste e o superaquecimento, causados por esse atrito.

As rotações do motor comandam a pressão do óleo, de modo que quanto mais ele trabalha, mais precisa de lubrificação.

Todo o óleo que circula no motor acaba caindo no cárter, onde a bomba de óleo suga o lubrificante e o leva para ser filtrado. Essa filtragem serve para tirar partículas que possam se encontrar no óleo, mantendo-o na viscosidade adequada. Depois o óleo volta a circular pelo motor através das galerias e canais.

Transmissão

A força do motor é levada para as rodas por meio de uma série de eixos e engrenagens. O volante do motor é acoplado à embreagem e à caixa de marchas, que levam esse movimento até as rodas de tração.

Quando o carro está em ponto morto, uma das engrenagens está desconectada, rompendo assim a transmissão de movimento.

Escapamento

A descarga tem uma série de tubos, que conduzem os gases resultantes da combustão até a atmosfera, sem risco para a sua saúde.

Esse sistema tem o silencioso ou silenciador, uma peça com várias divisões que diminuem a força dos ruídos provocados pela expulsão dos gases.

Direção

Esse sistema transmite os seus comandos, por meio do volante, para a caixa de direção e daí para as rodas. Isso possibilita que você faça curvas e manobras.

Quando o veículo tem direção hidráulica, ele conta com uma bomba de óleo hidráulico. Quando tem direção elétrica, trabalha com um motor elétrico.

Freios

Usados para diminuir a velocidade ou parar o carro por meio da fricção.

O freio de serviço é aquele que você aciona pelo pedal. Ao pisar no pedal, o êmbolo do cilindro-mestre, que contém o fluido de freios, é comprimido. Por sua vez, a pressão desse fluido empurra os êmbolos dos cilindros auxiliares, existentes em cada roda.

Os cilindros auxiliares comprimem as lonas contra os tambores, ou as pastilhas contra os discos, existentes nas rodas. No sistema ABS, a regulagem das frenagens é eletrônica, evitando-se assim o travamento de rodas.

Existem ainda o freio de estacionamento, aquele acionado pela alavanca de mão; e o freio motor, que funciona com a redução das marchas.

Suspensão

As molas, amortecedores e barras estabilizadoras dão estabilidade ao veículo. Esses componentes absorvem as irregularidades do pavimento e impedem que você sinta os trancos e solavancos.

Estrutura

O chassi é uma espécie de “esqueleto” do carro, sobre o qual a carroceria e todos os sistemas são montados.

A carroceria é a parte que cobre o carro, abrigando os ocupantes, porta-malas e demais sistemas. É ela que determina o estilo e a qual categoria um veículo pertence. Pode ser construída sobre o chassi ou formar com ele uma estrutura única — o monobloco.

É claro que, em um só post, não dá para te transformar em um expert sobre mecânica automotiva. Por isso, siga a gente nas nossas redes sociais (Twitter, Facebook,Youtube) e se aprofunde cada vez mais no assunto!